carlos/ janeiro 3, 2018/ Bem-estar/ 0 comments

Você é uma pessoa ansiosa? Consegue perceber o quanto a ansiedade impacta em sua vida?

Em muitos casos, esses sentimentos de ansiedade interferem nas atividades diárias, são difíceis de controlar e podem durar muito tempo.

Esses sintomas podem começar durante a infância ou a adolescência e continuar na idade adulta.

Para que você possa entender melhor sobre esse estado de apreensão e saber enfrentá-lo de maneira positiva, saudável e até mesmo produtiva, vamos abordar neste artigo:

  • O que é ansiedade
  • A diferença entre ansiedade e distúrbio de ansiedade.
  • Quais são os sintomas quando sofremos de distúrbios de ansiedade.

O que é Ansiedade?

Pessoa passando numa ponte, representando sensação de ansiedade.

Fonte Imagem: Unsplash

Vamos começar a derrubar uma crença errada que, talvez, você acredite: a ansiedade NÃO é uma doença.

Isso mesmo. Aquela sensação de apreensão que sentimos diante de uma entrevista, antes de fazer uma avaliação ou falar em público, por exemplo, é algo absolutamente NORMAL e bastante comum a todas as pessoas diante de situações de tensão, expectativa, medo ou dúvida.

Assim como o medo, a ansiedade tem o seu lado positivo. Isso porque geralmente ela surge quando estamos em situações desconfortáveis (sejam reais ou imaginárias) e indica que precisamos permanecer em estado de alerta para conseguirmos melhor pensar e agir para conseguirmos enfrentar aquela situação específica.

Poderíamos dizer que é algo natural que faz parte do nosso instinto de autopreservação e sobrevivência.

No entanto, quando este estado de tensão é experimentado de modo frequente e intenso ou sem motivos aparentes, de forma que compromete parcial ou inteiramente a vida da pessoa, então é classificado como um distúrbio da ansiedade.

Se você sofre com algum distúrbio de ansiedade, você conhece o estrago que ela pode causar em sua vida diária, como impedir o desenvolvimento profissional e até mesmo interferir em suas relações pessoais.

Resumindo, a ansiedade em si não é motivo de preocupação, mas quando aquela sensação provocada começa a ultrapassar os nossos limites e não conseguimos mais lidar com aquela situação (mesmo que imaginária), então já é considerado um distúrbio e a melhor forma de obter novamente o controle é buscar orientação e fazer um tratamento conforme cada caso.

Quais são os Sintomas de Ansiedade

Como saber se aquela ansiedade cotidiana está, de fato, sob controle? Na verdade, não é assim tão fácil.

Como ela pode ser originada de várias fontes e se manifesta de formas diferentes, um diagnóstico oficial de ansiedade “normal” nem sempre é clara. No geral, quando não compromete a vida da pessoa é porque a ansiedade está sob controle.

No entanto, para que você possa saber se está sofrendo de algum dos distúrbios de ansiedade e saber distingui-los para assim buscar um tratamento apropriado, vamos falar dos principais comportamentos que podem estar relacionados:

1) Transtorno da Ansiedade Generalizada (TAG)

Mulher sentada na cama, com reflexos do sol entrando pela janela, representando distúrbio de ansiedade que a impede de levar uma vida normal

Fonte Imagem: Unsplash

Como já falamos, todo mundo fica nervoso ou ansioso de vez em quando.

Contudo, quando a ansiedade se torna muito frequente, ou muito forte, que chega a assumir o controle da vida da pessoa, muitas vezes até de forma desproporcional, então pode ser considerado um transtorno de ansiedade generalizada (TAG).

Como explica o doutor Dráuzio Varella neste artigo:

“O transtorno da ansiedade generalizada (TAG), (…), é um distúrbio caracterizado pela “preocupação excessiva ou expectativa apreensiva”, persistente e de difícil controle, que perdura por seis meses no mínimo e vem acompanhado por três ou mais dos seguintes sintomas: inquietação, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração, tensão muscular e perturbação do sono”.

2) Má Qualidade do Sono

Mulher deitada na cama representando dificuldade para dormir quando sentimos ansiedade

Fonte Imagem: Unsplash

É comum aquela apreensão na noite anterior a um grande evento que significa algo para nós, como um discurso ou entrevista de trabalho.

A qualidade do sono, seja para adormecer ou permanecer nele está associado a uma ampla gama de condições de saúde, tanto físicas como psicológicas.

O problema começa quando a pessoa se encontra mentalmente acordado, preocupado ou agitado sobre problemas específicos (como o dinheiro), ou até mesmo com nada em particular.

Além disso, geralmente ocorre também dela acordar sentindo-se tensa, sua mente permanece agitada e não consegue se acalmar.

Para saber mais, segue um link para um artigo sobre como melhorar a qualidade do seu sono

3) Fobias

Representando a fobia, um distúrbio de ansiedade, uma figura de uma pessoa amedrontada por monstros

Fonte Imagem: Pixabay

Ter medo de determinadas coisas ou situações é algo absolutamente normal e necessário (afinal, está em instinto de sobrevivência).

Mas quando esse medo se torna exagerado e irracional (sem perigo real associado) e começa a impactar na vida dessa pessoa, então é uma fobia.

As pessoas que sofrem desse problema precisam enfrentar desconforto intenso diante do objeto ou situação causadora e por isso tem tendência de evitar.

Algumas fobias existentes são:

  • Medo de altura (acrofobia);
  • Medo de lugares cheios e multidões (agorafobia);
  • Medo de aranhas (aracnofobia);
  • Medo de cachorros (cinofobia);
  • Medo de lugares fechados, como elevadores ou aviões (claustrofobia).

Além disso, existe a fobia social, do qual, a pessoa que sofre desse problema tende a se preocupar por dias ou semanas que levam a um evento ou situação particular. E quando consegue passar por isso, fica imaginando como ela foi julgada, até mesmo depois de muito tempo.

4) Músculos Tensos

Pessoa de costas, com músculos tensos, representando que a ansiedade gera tensão muscular

Fonte Imagem: Pixabay

A ansiedade provoca tensão nos músculos de forma que as pessoas estão sempre com dores nas costas, ombros e nuca ou sentem quando apertam o maxilar, balança os punhos ou flexiona os músculos do corpo todo.

Como quase sempre é constante e muitas vezes persistente, as pessoas que passaram um longo período de tempo não conseguem mais nem perceber que estão com essa tensão muscular.

5) Problemas Digestivos

Mulher com as mãos na barriga representando problemas digestivos causados pela ansiedade

Fonte Imagem: Designed by Freepik

Apesar de iniciar na mente, a ansiedade pode se manifestar fisicamente como problemas digestivos.

O intestino é muito sensível ao estresse psicológico e vice-versa e a ansiedade pode ocasionar a síndrome do intestino irritável (alguns casos não têm nenhuma relação com ansiedade), caracterizada por dores de estômago, câimbras, inchaço, gás, constipação e / ou diarreia.

6) Medo de Atenção

Mulher sozinha num corredor, aflita, representando o medo de falar

Fonte Imagem: Unsplash

A grande maioria das pessoas sentem-se um pouco vulneráveis quando precisa falar para um grupo de pessoas ou estar no centro das atenções.

Mas, o transtorno começa quando esse medo impacta de forma que você permanece nisso o tempo todo e não consegue parar.

Alguns casos, inclusive, podem ser tão fortes que nenhuma quantidade de treinamento ou prática irá aliviá-lo.

Casos de fobia social, como já falamos, também podem agravar-se.

7) Medo da Percepção dos Outros

Homem conversando com uma mulher pensativa enquanto tomam café, representando o medo do julgamento das pessoas

Fonte Imagem: Unsplash

Ao chegar numa festa, está indo tudo muito bem até que alguém inicia uma conversa individual com você…

Quem sofre de algum transtorno de ansiedade tem tendência a sentir que todas as pessoas estão olhando para ela e geralmente experimentam tremores, dificuldade de falar, sudorese abundante ou taquicardia (batimento acelerado do coração).

Estes sintomas podem ser tão perturbadores que tornam difícil conhecer pessoas novas, manter relacionamentos e progredir no trabalho ou na escola.

Situações semelhantes como simplesmente comer na frente de um pequeno número de pessoas também estão inclusas.

8) Ataque de Pânico

Silhueta de pessoa com as mãos no vidro, representando ataque pânico

Fonte Imagem: Unsplash

Imagine você está em lugar qualquer quando, de repente, é invadido por uma sensação de medo e desamparo e acompanhado de falta de ar, dor no peito, coração acelerado, formigamento, suor excessivo, fraqueza, vertigens, incômodo digestivo e/ou calafrios.

Pronto, você está num ataque de pânico.

Apesar que, nem todos os ataques de pânico estão relacionados à ansiedade, mas as pessoas que experimentam repetidamente podem ser diagnosticadas com transtorno de pânico.

Essas pessoas vivem com medo de quando, onde e por que seu próximo ataque pode acontecer, e eles tendem a evitar lugares onde os ataques ocorreram no passado.

9) Lembranças Passadas

Homem preocupado, representando sofrer de estresse pós-traumático

Fonte Imagem: Unsplash

O estresse pós-traumático também é um transtorno de ansiedade do qual envolve sintomas físicos, psíquicos e emocionais, semelhantes com transtornos de ansiedade.

Acontece quando a pessoa revive um evento perturbador ou traumático como um acidente de carro, situações de violência ou a morte súbita de um ente querido.

Embora seja somente lembranças, a pessoa se comporta como se tudo estivesse acontecendo naquele momento com a mesma intensidade da primeira vez.

10) Pensamentos Obsessivos e Comportamentos Compulsivos

Mulher organizando itens detalhados representando TOC

Fonte Imagem: Flickr

Quando a obsessão e os pensamentos internos de uma pessoa estão acompanhados de um comportamento compulsivo, seja mental (dizendo a si mesmo) ou físicos (lavagem das mãos, alisamento de itens, escutar música sempre no mesmo volume) é classificado como TOC (transtorno obsessivo-compulsivo).

O transtorno começa quando esse pensamento obsessivo e o comportamento compulsivo começam a tomar controle da sua vida e torna-se um ritual necessário e determinante diante das outras situações ao redor.

Bastante comum naqueles que sofrem de TOC, o perfeccionismo é aliado desse transtorno, do qual, a pessoa permanece o tempo todo se julgando e sofrendo por antecipação de ansiedade sobre cometer erros ou ficar sem seus padrões.

11) Dúvida de Si Mesmo

Mulher cobrindo os cabelos representando duvidar de si mesmo

Fonte Imagem: Unsplash

Duvidar de si mesmo com frequência é uma característica comum dos transtornos de ansiedade, incluindo transtorno de ansiedade generalizada e TOC.

Essas dúvidas são mais comuns quando não são podem ser quantificadas ou não é possível obter uma resposta exata e podem girar em torno de questões de identidade como “será que sou gay” ou por relacionamentos “eu amo meu marido tanto quanto ele me ama?”.

Essa incerteza é que pode se transformar em uma obsessão.

Para Concluir:

Antes de tudo, entenda que a ansiedade em si é algo normal em situações específicas.

De qualquer forma, você pode facilmente controlar a ansiedade através de algumas técnicas simples como explicado neste artigo aqui.

Mas quando esses sintomas começam a comprometer e impactar diretamente em sua vida normal, pode ser considerado um distúrbio de ansiedade e nesse caso um profissional é indicado para fazer o tratamento específico e adequado.

Se tiver algum amigo do qual precisa saber mais sobre ansiedade, recomende esse artigo para ajudá-lo.

E você possui alguns desses sintomas? Eles impactam na sua qualidade de vida? Utilize nossa área de comentários para contar sua experiência.

PS: Ressaltando que este artigo é de caráter informativo e o assunto é tratado de maneira geral. Em casos específicos, a orientação profissional e especializada é recomendada.

Referências:

[1] http://www.health.com/health/gallery/0,,20646990,00.html#self-consciousness

Compartilhe este Artigo

Deixe seu Comentário